Cadastrar
Esqueci minha senha
Usuário: Senha:
Logar
Você pode utilizar nossa busca por palavra chave ou utilizar os critérios ao lado para obter uma listagem.

Buscar
Buscar
Selecione o Estado Categoria


GASTRONOMIAHOSPEDAGEMINFORMAÇÕES ÚTEIS
Selecione a Cidade Sub-Categoria


Destaques


Newsletter





Sete práticas radicais para aproveitar a natureza em parques
Os Parques Nacionais, que guardam reservas ambientais e protegem inúmeras espécies da fauna e da flora, oferecem aventura e vistas deslumbrantes aos turistas mais radicais. Confira as atrações dessas unidades conservação

1. Explorar os cânions na Chapada dos Veadeiros (GO)

A área de 240,5 hectares é acessível pelos municípios de Alto Paraíso, Cavalcante e Colinas do Sul, que oferecem
infraestrutura de pousadas, hotéis e restaurantes. A paisagem do local é destaque, além de oferecer passeios em trilhas que levam a cachoeiras. Desde o ano passado, os visitantes também podem descer as os cânions da região. Rapel, salto e tirolesa são algumas das atividades que constam no roteiro das formações rochosas com mais de um bilhão de anos.

2. Saltar de asa delta de um cartão-postal carioca

A maior floresta em área urbana do mundo fica na Tijuca (RJ). O espaço de 4 mil hectares abriga, além da floresta,
o Cristo Redentor, o Corcovado e a Pedra Bonita, com 842 metros de altura. Dessa altura, os turistas têm uma visão privilegiada da praia de São Conrado, para a qual podem saltar de asa delta ou parapente. Para chegar ao cume, é preciso encarar a trilha da Carrasqueira, recompensada pela adrenalina do voo. Os turistas chegam de carro ao começo da trilha, a um quilômetro da avenida principal.

3. Explorar as grutas em Iraquara (BA)

A Chapada Diamantina é refúgio de várias espécies da Mata Atlântica, do Cerrado e da Caatinga ameaçadas de extinção, como o tamanduá-bandeira, o tatu-canastra e a onça-parda. Mas além de observarem os animais raros em habitat natural, os turistas podem se aventurar nas grutas da reserva, que guardam formações de estalagmites e estalactites, além de águas azul-turquesa próprias para mergulho, na cidade de Iraquara. A entrada para o Parque Nacional é pelo município de Lençóis, que oferece infraestrutura com rede hoteleira, restaurantes e aeroporto.

4. Se encantar pela vida marinha em Fernando de Noronha (PE)

Fernando de Noronha é um dos refúgios para a biodiversidade, isso não é novidade. E o Parque Nacional Marinho, que fica na ilha, não desaponta os turistas. O passeio na enseada dos Abreus une trilha ecológica, formada pela maré baixa, e flutuação nas piscinas naturais com águas verde-esmeraldas, em que os visitantes podem relaxar depois de 1,2 quilômetro de caminhada. Para chegar à cidade, há voos todos os dias saindo do Recife (PE) e Natal (RN). Os ingressos para brasileiros custam R$ 89.

5. Conhecer de bike um dos maiores acervos de pintura rupestre das Américas

O Parque Nacional da Serra da Capivara, que fica em São Raimundo Nonato (PI), concentra o maior número de pinturas rupestres do continente: 173 no total. As gravações da população pré-histórica foram feitas em paredões areníticos. Os circuitos turísticos podem ser visitados de bicicleta. São Raimundo Nonato e Coronel José Dias oferecem vagas em pousadas e restaurantes. A entrada custa R$ 25.

6. Escalar a terceira montanha mais alta do País, em Caparaó (MG)

Na divisa entre Minas Gerais e Espírito Santo, os turistas podem se aventurar no terceiro mais alto monte do Brasil, no Parque Nacional do Caparaó. O Pico da Bandeira tem 2.892 metros de altitude. As trilhas, de diferentes níveis de
Dificuldade, levam ao cume da serra. Para dar suporte aos montanhistas, o parque conta com acampamentos, banheiros, bancos e churrasqueiras.

7. Desafiar a física no Monte Roraima (RR)

Pisar em três territórios diferentes ao mesmo tempo não é coisa de ficção científica. Quem decide subir os 15
quilômetros de trilha para chegar ao topo do Parque Nacional do Monte Roraima chega ao Ponto Triplo, no encontro do Brasil com a Venezuela e a Guiana Francesa. Com mais de 2 bilhões de anos, o monte tem 2,7 mil metros de altitude e abriga a savana amazônica. Para acessar a região, é preciso viajar para a capital do estado, Boa Vista.


Fonte: www.jornaldeturismo.tur.br


Selos

Turismo Agora - informações turisticas pelo fone: (53) 3228-3819.
Tire suas dúvidas rapidamente com nosso atendimento online 24 horas por dia.

Termos e condições de uso

Copyright © 2008 TRACKDATA